Connect with us

Novelas

Conheça a história de “Lia”, nova minissérie da Record TV

Published

on

Cena de banquete de Jacó em “Lia” (Foto: Munir Chatack / Record TV)

Jacó foi o progenitor da Nação Judaica. Ele teve doze filhos, que deram nome às doze Tribos de Israel. Esses filhos nasceram de suas esposas: as irmãs, Lia e Raquel; e de suas concubinas: Bila e Zilpa. Essa é a história dessas mulheres.

Labão, pai de Lia e Raquel, não é um homem de fé, pelo contrário. Astuto, oportunista e enganador, o que lhe interessa é o lucro. Ele vive com sua família (esposas, concubinas e filhos) e servos em suas terras, habitando em tendas, na área rural da cidade de Harã (Mesopotâmia). Possui rebanhos, plantações, e todos trabalham para o sustento dessa comunidade patriarcal sob seu comando.

Labão é neto de Naor, irmão de Abraão. Ele é filho de Betuel, e irmão de Rebeca, que se casou com Isaque (filho de Abraão). Nessa época era comum o casamento entre primos a fim de preservar a propriedade e a identidade familiar.

Quando Abraão partiu para Canaã, esse ramo da família permaneceu em Harã, onde as crenças pagãs eram bem fortes e disseminadas.

Lia (8 anos), filha de Labão, é uma menina doce e tímida, que vive sob o jugo de seu pai, um homem insensível e violento, e de seus meios-irmãos, criados à imagem do pai. Sua mãe lhe passou algo sobre a fé no Deus de Abraão, mas ela morre no parto de sua irmã, Raquel.

Lia, então com oito anos, perde a única pessoa que lhe dava algum carinho e atenção e assume os cuidados de sua irmãzinha. Nessa dura tarefa, ela conta com a ajuda de Zilpa (8 anos), serva de seu pai, dando início a uma forte amizade.

Raquel cresce e se torna uma moça belíssima. Lia não é bela como a irmã e guarda os olhos tristes de quem perdeu a infância.

Enquanto Lia é prendada nos afazeres domésticos e talentosa cozinheira, Raquel prefere as atividades ao ar livre, como o pastoreio. Embora esta seja uma tarefa normalmente dada a um homem, Labão não se importa. A partir do momento em que Raquel saiba cuidar do rebanho, a segurança da filha não o preocupa tanto.

A serva Zilpa sofre realizando as tarefas mais árduas como cuidar dos porcos, recolher lenha, trabalhar na plantação, etc. Além disso, pena nas mãos de Labão e seus filhos que a veem como mero objeto, abusando dela. Ciente de sua situação como serva, ela obedece e aguenta as provações sem se revoltar, procurando ver o lado bom das coisas. Sempre otimista, de bom coração, Zilpa desafia o sofrimento com um sorriso no rosto, usando o véu da leveza para esconder suas feridas profundas.

Lia (24 anos), Raquel (17 anos) e Zilpa (24 anos) dividem a mesma tenda, mas apenas Lia e Zilpa partilham seus sonhos, frustrações, alegrias e tristezas. Quando Bila (12 anos), é comprada como serva por Labão, Lia e Zilpa acolhem a menina entre elas. Raquel não tem a mesma generosidade e pouco se importa com uma serva.

Lia e Zilpa se unem para sobreviver nesse universo masculino.

Enquanto Lia guarda os ensinamentos sobre o Deus de Abraão e os passa para Zilpa, Raquel prefere continuar com os hábitos e crenças pagãs.
Raquel é uma força da natureza, linda, e mimada, sempre conquistando o que deseja com seu modo sedutor de agir.

Enquanto Raquel cresce confiante, sabedora de seus encantos femininos e a procura de um marido rico e que lhe traga muitos benefícios, Lia se sente o patinho feio da família. Apesar de ser mais sábia e madura que as outras mulheres, ela não consegue suplantar sua insegurança e está sempre tentando agradar a todos em busca de aprovação. Em seu íntimo, Lia sonha em encontrar um homem que a ame perdidamente e que a faça a mulher mais feliz do mundo.

Labão é um homem rude, trata mulheres como seres inferiores, que devem servi-lo e obedecê-lo, sem direitos maiores do que receber comida e uma tenda sobre a cabeça. Suas filhas são apenas moeda de troca num casamento, nada mais que isso. Quando Jacó, filho do rico Isaque, chega à Harã, Labão recebe o sobrinho com bons olhos, visando tirar algum proveito dele.

Jacó é filho de Rebeca, irmã de Labão que chega de Canaã à procura do tio, buscando guarita e uma mulher para desposar.

Antes de Jacó nascer, Deus disse que ele seria pai de uma nação forte e que seria exaltado acima do seu irmão gêmeo, Esaú (Gênesis 25:23). Mas Jacó usa de artimanhas para tirar a progenitura do irmão e acaba fugindo de Canaã com medo da ira de Esaú. Ao invés de confiar que o Senhor lhe daria tudo o que prometeu, Jacó segue usando de astúcia e esperteza para conseguir as coisas de seu jeito.

Até Jacó reconhecer que o Deus de seu pai Isaque e de seu avô Abraão, é também o seu Deus, a jornada será longa, árdua e com muitos dissabores …

É esse homem, que acha que consegue tudo graças à sua esperteza, que tenta barganhar com Deus a sua proteção (Gn 28:20-21) que chega a Harã em busca de uma esposa entre sua parentela, seguindo o conselho de seu pai.

Ele conhece Raquel e logo se apaixona perdidamente. Ela o leva até Labão, que o recebe de braços abertos, oferecendo trabalho.

Ao longo da história, veremos que Labão e Jacó estão sempre disputando para ver quem é mais esperto, tentando tirar vantagem um do outro. Por conta do voto que Jacó fez com Deus, ele se torna muito próspero, porém ainda é um homem que traz dentro de si o medo, questões mal resolvidas do passado, inseguranças…

A chegada de Jacó mexe com essas mulheres. Apesar de ter semelhanças com Labão, Jacó é um homem bom, que trata as mulheres com respeito e delicadeza, o que as deixa suspirando…
Mesmo sabendo que Jacó está apaixonado por sua irmã, Lia não consegue se impedir de sonhar com aquele homem e desejar ser amada por ele. Ela se culpa e tenta sufocar esse sentimento, inutilmente.

Como condição imposta por Labão, Jacó trabalha durante sete anos para desposar Raquel, mas é enganado pelo sogro, que lhe dá Lia em casamento. Sem saber que Lia foi forçada, Jacó fica furioso com ela, julgando-a uma usurpadora e traidora. Ele então cumpre uma semana com Lia e casa também com Raquel, concordando em trabalhar mais sete anos por ela, a mulher que realmente ama.

Assim começa o drama de Lia, rejeitada desde o início por seu marido… e de Raquel, quem tem o amor de Jacó, mas não consegue lhe dar um herdeiro, enquanto a irmã tem um filho atrás do outro….

Em sua trajetória, Lia irá ao encontro da sabedoria e da Fé, que a fará enxergar que ninguém está acima de Deus e que, portanto, não deve idolatrar seu marido. Ela então deixa de se colocar abaixo de Jacó, tornando-se uma mulher forte e admirável.

Já Raquel se deixa cegar pela vaidade e egoísmo, numa luta incansável em manter o “primeiro lugar” no coração do marido, usando de todas as armas ao seu alcance, sem perceber que nada disso lhe dá paz e felicidade.

As irmãs alternam momentos de ódio e disputa, numa intrincada relação permeada pela inveja e ciúmes.

Bila é a mais jovem entre essas mulheres e se torna um fantoche nas mãos de Raquel que, na frente de Jacó, a trata com zelo e carinho, mas por trás a trata com desprezo e desmerecimento. Mas sua participação na vida de Raquel acaba sendo maior do que a de uma simples serva. A fim de vencer sua irmã na luta em dar herdeiros a Jacó, Raquel entrega Bila ao marido para que lhe dê filhos em seu nome.

Zilpa não é indiferente ao charme de Jacó, mas sabe que tal homem está além do que pode ansiar para si. Apesar de ter sofrido muito, ter sido abusada sexualmente por Labão e seus filhos, se acha abençoada por ter encontrado a proteção de Lia e de Jacó. Zilpa é a desajeitada, desastrada, até engraçada. Ao contrário de Bila, ela não tem ressentimentos e nem culpa ninguém pelas coisas ruins que lhe aconteceram. Seu coração é bom, puro, alegre e generoso.

Na disputa pelo amor e atenção de Jacó, a relação das irmãs é abalada, dando início a um jogo de poder feminino onde Zilpa e Bila também serão envolvidas.

Clique para comentar!

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

  Subscribe  
Notify of

Novelas

Juliano Laham e Pedro Henrique Müller protagonizam o primeiro beijo gay em novela das 18h

Published

on

Os personagens Luccino e Otávio se beijam em Orgulho e Paixão. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Os personagens Luccino e Otávio se beijam em Orgulho e Paixão. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Foi ao ar nesta quarta-feira (12), em Orgulho e Paixão, o primeiro beijo gay em novela das 18h da TV Globo, protagonizado pelos atores Juliano Laham e Pedro Henrique Müller.

Leia também: Leo Dias é afastado do Fofocalizando por Silvio Santos para tratamento de vício em cocaína

Em entrevista ao UOL, Juliano Laham contou como foi fazer a cena junto com seu colega de trabalho Pedro Henrique.

“Foi normal como qualquer cena de amor, é assim que tem que ser. Torci muito para que os personagens fossem felizes juntos e realizassem os seus desejos”, disse ele.

O ator comemorou a cena e disse que foi um marco na televisão: “Avalio como algo positivo e necessário para nossa sociedade. Em pleno século 21 não deveríamos ter que estipular horários para demonstrar o amor entre duas pessoas do mesmo sexo. Foi um marco importante e estou muito feliz de poder representar contando essa história”.

A exibição da cena causou comentários positivos e negativos nas redes sociais. Juliano disse que não conseguiu acompanhar tudo, mas agradeceu as mensagens de apoio e carinho que recebeu.

“Não consegui acompanhar 100% da repercussão e dos comentários, mas pelo que tenho visto, são pessoas agradecidas por se sentirem representadas e famílias por compreenderem de que o amor é livre. Porém a homofobia ainda está muito presente e isso me entristece profundamente”, declara ele.

Continue Lendo

Novelas

Em capítulos decisivos, Segundo Sol sofrerá mudanças de horário; Confira a ‘nova grade’

Published

on

Cena da novela Segundo Sol. (Foto: Reprodução)

Cena da novela Segundo Sol. (Foto: Reprodução)

Segundo Sol, novela da Globo, devido aos amistosos da seleção brasileira, sofrerá mudanças de horário nos próximos capítulos.

Leia também: Apresentadora do SBT sofre derrame e está internada em estado grave

Prometendo fortes emoções, o folhetim passará por reviravoltas neste sábado (08), quando o o personagem Remy será assassinado, dando início a um “quem matou?” na novela.

Fique ligado nas mudanças de horários para não perder nenhum detalhe da trama:

Sexta-feira (7) – vai ao ar às 23h05 após o jogo
Remy irá enganar Luzia (Giovanna Antonelli) e dizer que o filho que ela teve com Beto Falcão (Emílio Dantas) era uma menina. Além disso, Luzia e Karola (Deborah Secco) terão um embate sério. Por causa do amistoso entre Brasil e Estados Unidos, o capítulo começará mais tarde. De acordo com uma estimativa da programação da Globo, o jogo começará por volta de 21h05 e a novela por volta das 23h05.

Sábado (8) – vai ao ar por volta das 21h42
O capítulo que mostrará a morte de Remy irá ao ar por volta das 21h42, começando um pouco mais tarde por conta do horário político.

Segunda-feira (10) – vai ao ar às 21h42
Luzia jurará vingança contra as megeras Laureta (Adriana Esteves) e Karola, após ter que fugir novamente ao ser acusada do assassinato do vilão, O capítulo começa às 21h42, mais uma vez um pouco mais tarde devido à propaganda eleitoral.

Terça-feira (11) – vai ao ar às 20h55 antes do jogo
Nesse dia a mudança é mais radical: a novela começa mais cedo, por volta das 20h55, porque às 21h30 Brasil joga contra El Salvador.

Quarta-feira (12) – começa às 20:56
O folhetim começa mais cedo, por volta das 20h56 e logo em seguida do fim do horário político.

Quinta-feira (13) e sexta-feira (14)
A novela inicia por volta das 21h40 em ambos os dias, após o “Jornal Nacional”. Os dois capítulos também terão uma nova mudança de rumo na trama, quando Luzia formará uma aliança com Galdino (Narcival Rubens), braço direito de Laureta. Juntos, os dois formulam uma vingança contra a vilã.

Continue Lendo

As Aventuras de Poliana

Mesmo após 30 capítulos, Jesus está longe de superar As Aventuras de Poliana em audiência

Published

on

Cena da trama bíblica Jesus, da Record. (Foto: Reprodução/Record)

Cena da trama bíblica Jesus, da Record. (Foto: Reprodução/Record)

As Aventuras de Poliana, do SBT, segue firme em audiência sobre Jesus, mesmo após a exibição do trigésimo capítulo da trama bíblica da Record.

Leia também: Anitta ameaça processar Leo Dias por conta de biografia não autorizada

Segundo dados do Ibope, Jesus sempre esteve em terceiro lugar em audiência. Não ganhou um dia sequer do folhetim infanto-juvenil de Íris Abravanel.

A melhor audiência dos trinta capítulos de Jesus foi de 13,4 pontos contra a variação de 16,9 e 12,6 de Poliana. O pior resultado da trama bíblica foi quando a trama marcou 9,1 pontos.

Ambas as novelas são exibidas na mesma faixa de horário, de segunda a sexta, de 20h55 até as 21h45.

Semanas atrás, Silvio Santos em seu programa zombou da audiência da Record, dizendo: “Edir Macedo tá pê da vida. Não aguenta mais. Nem dorme mais. Ele tá orando de hora em hora por sua causa”.

 

DAY MESQUITA CONTA COMO É INTERPRETAR MARIA MADALENA EM JESUS

A atriz Day Mesquita está no auge de sua carreira. Depois de passar por diversas emissoras como Globlo, SBT e Band, ela agora vive o personagem Maria Madalena, na novela Jesus.

Ela concedeu uma entrevista exclusiva ao site ESTRELANDO, onde conta mais detalhes sobre o seu personagem e também dos desafios enfrentados.

ESTRELANDO: Como é interpretar um personagem tão icônico como Maria Madalena?

Day Mesquita: É um privilégio fazer parte de um trabalho que conta uma história tão bonita. Jesus foi um homem que falava do amor incondicional ao próximo sem preconceitos ou predileções. Espero que com esse trabalho possamos fazer o público se identificar, pensar além e olhar a vida com mais amor, compaixão e respeito aos outros, independente de raça, religião ou qualquer coisa que seja.

ESTRELANDO: O que os telespectadores podem esperar de sua personagem, a novela trará alguma nova abordagem para essa figura?

Day Mesquita: Na trama, Maria Madalena será uma judia que foi casada com um romano e está voltando para Jerusalém após ficar viúva. Uma mulher forte, inteligente e destemida, que anseia por conquistar sua liberdade. Será atormentada por sete demônios, e em cima disso, muitas coisas vão acontecer, até ela encontrar Jesus, que a livra dos demônios que a perseguem, e a partir daí Maria passa a segui-lo, tornando-se discípula, quando testemunhará os sofrimentos, o julgamento, a condenação, a morte na cruz e a ressurreição de Jesus.

ESTRELANDO: Qual foi o maior desafio em gravar as cenas no Marrocos?

Day Mesquita: Fui ao Marrocos para gravar a sequencia da Via Crúcis, que são cenas densas, complexas. Na maior parte do tempo não estamos de fato gravando, mas sim aguardando todo o processo de preparação do set para estar tudo pronto na hora da ação. Então, embora estivesse muito quente, acho que a maior dificuldade mesmo foi manter a concentração e o estado de emoção e entrega que as cenas pediam durante as oito ou nove horas em que ficávamos no set de gravação.

A entrevista completa você encontra no site ESTRELANDO, clicando aqui.

Continue Lendo

Enquete

Advertisement

Siga-nos no Twitter

Advertisement

Curta-nos no Facebook!

Advertisement

Copyright © 2018 O Canal - Onde a TV vira notícia!