Connect with us

Novelas

Letícia Colin diz que “jogo não está ganho” em Segundo Sol

Published

on

Rosa (Letícia Colin) e Ícaro (Chay Suede) em Segundo Sol. Foto: Reprodução/TV Globo

Rosa (Letícia Colin) e Ícaro (Chay Suede) em Segundo Sol. Foto: Reprodução/TV Globo

Letícia, que interpreta Rosa, se tornou aliada de Roberval, e está fazendo o jogo de Laureta, chantageou Karola, segue apoiando a irmã Maura e, em breve, vai desvendar o elo entre Valentim e Luzia. Rosa se tornou uma espécie de chave mestra de “Segundo Sol” e está em todas.

Apesar do sucesso da personagem, Letícia Colin mantém os pés no chão. “Estou trabalhando muito, vejo pela internet [o sucesso], mas sempre penso que pode ser uma bolha. Sempre desconfio. Sei que existem pessoas que elogiam, mas o Nelson Rodrigues já falava: toda unanimidade é burra. De verdade, estou muito comprometida e para mim o jogo não está ganho”, disse ao UOL.

Leia também: Record proíbe decote, bermuda e roupas extravagantes após confusão com Faro

Trabalhando como garota de programa e com o coração dividido entre Ícaro (Chay Suede) e Valentim (Danilo Mesquita), ela é a protagonista de muitas cenas de sexo e encara com naturalidade esses momentos da gravação: “Me sinto à vontade, e acho as cenas belas. A Rosa me ensina a pensar a sexualidade de uma maneira mais saudável, sem preconceito, hipocrisia. A gente se joga.”

Aos 28 anos, Letícia sabe que Rosa é um papel muito emblemático. “Ela é muito forte e vem de um núcleo familiar de muito sofrimento, com aquele pai machista, tem um trabalho desgastante, dificuldade de lidar com a patroa, uma vida amorosa atribulada… Acho sensacional fazer personagens que inspiram coragem e liberdade.”

Para interpretar a jovem prostituta, ela se aproximou da ex-garota de programa Gabriela Natália da Silva – conhecida como Lola  Benvenutti. “Fui atrás da Lola por causa de uma entrevista para a Marília Gabriela. Ela foi muito corajosa, tinha todos os recursos e escolheu se prostituir porque é uma feminista e acha que a sexualidade está em outro lugar. Decidi me basear nesse pensamento. A gente tem que se cercar de opiniões diferentes”, declarou. Uma outra mulher, que Letícia não revela o nome, também a ajuda a compor a prostituta de luxo.

“Ela me explica muito sobre esse mundo, de forma generosa e franca. Pergunto coisas íntimas mesmo porque achei necessário ouvir esse lado. Não devemos julgar antes de ouvir”, argumenta.

“A prostituição de luxo é um caminho para pessoas que querem ascender financeiramente mais rápido. E isso tem que ser uma escolha pessoal. Claro que existe a prostituição que vem da tragédia, da miséria humana, da condição econômica do país. Essa não pode existir.”

Clique para comentar!

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

  Subscribe  
Notify of

Coluna

Léon, Rabito e Xico: Os animais que ganharam o público e viraram personagens de novelas

Published

on

Gato León é uma principais figuras de O Sétimo Guardião. (Foto: Reprodução)

Gato León é uma principais figuras de O Sétimo Guardião. (Foto: Reprodução)

Estreou na noite de segunda-feira, 12, a novela O Sétimo Guardião, na Rede Globo. Escrita por Aguinaldo Silva, a trama que aborda o realismo fantástico como temática principal trouxe consigo um gato preto chamado Léon, recheado de mistérios e que se transformará em um homem ao decorrer da novela.

Esta não é a primeira vez que os animais ganham destaque e viram personagens dos folhetins brasileiros. Relembre abaixo os mugidos, miados e latidos dos bichos que ganharam a ficção:

O cachorro Rabito participou da novela Carrossel. (Foto: SBT)

O cachorro Rabito participou da novela Carrossel. (Foto: SBT)

O cachorro Rabito foi um verdadeiro sucesso na novela Carrossel, exibida em 2012 pelo SBT. No remake de Iris Abravanel, o bichano é o amigo inseparável de Mario (Gustavo Daneluz). Assim como todo personagem importante, o cachorrinho teve um final feliz no folhetim! Rabito ganhou uma namorada com quem terá vários filhotes.

Policarpo foi o amigo inseparável de Candinho, em Êta Mundo Bom. (Foto: TV Globo)

Policarpo foi o amigo inseparável de Candinho, em Êta Mundo Bom. (Foto: TV Globo)

Em Êta Mundo Bom, Policarpo ra o companheiro de todas as horas de Candinho, o caipira interpretado por Sergio Guizé. Em busca de sua mãe biológica, o personagem foi acompanhado do burro Policarpo durante a sua ida à cidade grande.

Chico foi um macaco na novela Caras e Bocas. (Foto: Reprodução)

Chico foi um macaco na novela Caras e Bocas. (Foto: Reprodução)

Em Caras e Bocas, Chico era um macaco muito talentoso, que adorava pintar o sete. Quer dizer, na verdade ele gostava mesmo era de pintar quadros! Na trama de Walcyr Carrasco, o animal era o verdadeiro autor das obras de arte assinadas por seu dono, Denis (Marcos Pasquim). 

O cachorro Zé da novela Vidas em Jogo, da Record TV. (Foto: Reprodução)

O cachorro Zé da novela Vidas em Jogo, da Record TV. (Foto: Reprodução)

O cachorro Zé era o melhor amigo de Carlos, interpretado por André Di Mauro. O pequeno poodle estava sempre ao lado do dono e até se jogou na frente dele, levando um tiro em seu lugar. Mas, claro, ele se recuperou rapidinho. “Atuando” em diversas cenas na trama da Record, o cãozinho era tratado como estrela na emissora.

A pata Doralice de Alma Gêmea. (Foto: TV Globo)

A pata Doralice de Alma Gêmea. (Foto: TV Globo)

A pata Doralice era a grande amiga da personagem Mirna, uma caipira ingênua vivida pela atriz Fernanda Souza. Como a jovem do interior sonhava encontrar um grande amor e casar, confessava seus dramas para a pata. Chegou a arranjar um casamento para Doralice, com direito a bolo e marcha nupcial.

Leia também: Por que Bruno Gagliasso ganhou seu primeiro protagonista das 21 horas apenas agora

 

 

Continue Lendo

Coluna

Por que Bruno Gagliasso ganhou seu primeiro protagonista das 21 horas apenas agora

Published

on

Bruno Gagliasso na novela O Sétimo Guardião. (Foto: TV Globo)

Bruno Gagliasso teve seu primeiro protagonista às 21h novela O Sétimo Guardião. (Foto: TV Globo)

Aos 36 anos de idade, o ator Bruno Gagliasso estreou na noite de segunda-feira, 12, o seu primeiro protagonista no horário das 21 horas, dentro da Rede Globo. Ele começou a carreira aos oito anos de idade fazendo figuração dentro da própria emissora em que trabalha atualmente. Em 1999, ele estreou na TV durante o programa Você Decide e, a partir dai, no ano seguinte, deslanchou na profissão ao se mudar para o SBT e participar de Chiquititas.

De volta a Globo em 2001, Bruno Gagliasso possui um extenso currículo na casa. Em seu início como ator, teve a oportunidade de trabalhar em América, onde chegou a interpretar um polêmico homossexual, Celebridade, A Casa das Sete Mulheres e Sinhá Moça.

Consagrado como ator, Bruno também fez muito sucesso ao dar vida aos seus personagens em Paraiso Tropical e Caminho das Índias. Porém, durante todos esses anos, ele nunca foi presenteado com um protagnoista no principal horário de novelas do país, às 21 horas.

Isso porque, nos últimos anos, os protagonistas do horário nobre giravam em torno de atores na faixa dos quarenta anos e Bruno, assim como atualmente, era muito jovem. A sua atuação se destaca na criação de tipos e caricatura, e acabou sempre o levando para personagens mais complexos, como em nas novelas Dupla Identidade e o cafajeste de Babilônia, no ano de 2015.

Apesar de viver grandes protagonistas em seus últimos trabalhos, nenhum deles foram no conceituado horário. Além dos já citados acima, ele foi o principal ator também de Joia Rara, em 2013 e Sol Nascente, no ano de 2016, amba no horário das seis.

Estreando como mocinho em O Sétimo Guardião na pele de Gabriel, ele encara o papel de um herói audacioso, que vai para uma cidade pequena e se apaixona pela mocinha interpretada por Marina Rui Barbosa. Ele é filho de Valentina Marsalla, vivida por Lilia Cabral. Na internet, o seu primeiro protagonista no horário recebeu diversos elogios e dentro da produção da Globo, o seu nome é um dos mais citados pelo bom desempenho.

Leia também: Aguinaldo Silva o único que pode chamar o horário das 21 horas de seu

Continue Lendo

Coluna

Como é a rotina de Aguinaldo Silva escrevendo O Sétimo Guardião

Published

on

Aguinaldo Silva volta às infinitas possibilidades do Realismo Mágico em O Sétimo Guardião. — Foto: Reprodução

Aguinaldo Silva volta às infinitas possibilidades do Realismo Mágico em O Sétimo Guardião. — Foto: Reprodução

Estreou nesta segunda-feira, 12, a novela O Sétimo Guardião. Repleta de fantasias, magias em um mundo onde o realismo fantástico domina, o novo folhetim das nove é escrito por Aguinaldo Silva e marca o retorno da Rede Globo para a abordagem do tema tão dominado pelo autor. Em um documentário exclusivo para a Globo, ele contou um pouco sobre a sua rotina e fascinação pela escrita de sua nova história que será contada pelos próximos meses.

Aos 75 anos de idade, Aguinaldo Silva tem uma rotina corrida durante todos os dias, principalmente agora, que tem em mãos o desenvolvimento do principal produto da casa. Porém, mesmo diante de muito trabalho, ele não dispensa uma folga durante a correria para publicar nas redes sociais e até mesmo arriscar uma receita em sua cozinha.

Todos os dias, Aguinaldo acorda às 05h30 da manhã. Para ele, a sua rotina “é a mais santa de todas as rotinas”. Ao levantar, ele arruma sempre sua cama, toma um banho, prepara o seu café e, rapidamente, lê os principais jornais do país para saber sobre as notícias do dia. Rigorosamente, o trabalho do autor em escrever os próximos capítulos de O Sétimo Guardião começa entre 07h00 e 07h30.

De volta às novelas após Império, o autor confessa que escreve o dia inteiro, cada capítulo e, junto com os personagens, vive cada emoção que vai parar na tela de seu computador. Para dar uma pausa na adrenalina, ele vai para a cozinha, coloca as receitas em dia e arrisca até a fazer umas postagens cozinhando nas redes sociais e conversar com os internautas durante a parada.

Considerado um cidadão português, Portugal é uma das paixões de Aguinaldo Silva. No país, ele tem um apartamento em Lisboa, onde se divide na sua função de escritor. Em terras portuguesas, o autor gosta de andar pelas ruas e admirar as paisagens locais até se perder pelas ricas construções.

Ele conheceu Portugal em 1997, após fazer uma longa viagem pelo mundo. Ao chegar na nação, ele se apaixonou completamente e, a partir dai, viu a necessidade de comprar um apartamento no Castelo para viver por lá. Ele ficou no bairro durante quatro anos e depois se mudou para a Liberdade, onde encontra-se até hoje, onde abriu alguns negócios, como hotel e restaurante.

As novelas Fina Estampa, Duas Caras e Império foram escritas pelo autor em sua atual residência. Agora, em O Sétimo Guardião, ele repete o mesmo que tinha feito há alguns anos. Na mesma casa, ele divide algumas horas com Joana Jorge, uma das colaboradoras do novo folhetim. Os dois ficam frente a frente e, diariamente, passam a criar e histórias e destinos para os personagens do realismo fantástico das nove.

O autor acredita que quando terminar de escrever novelas finalmente, ele se irá se mudar definitivamente para Lisboa. Aguinaldo Silva acredita que O Sétimo Guardião será o seu testamento. Tudo o que ele fez em seus 40 anos de televisão, será misturado na nova trama. Ele ainda supõe que a trama protagonizada por Marina Rui Barbosa deverá ser sua última novela, mas, que enquanto viver, continuará escrevendo.

Leia também: Aguinaldo Silva o único que pode chamar o horário das 21 horas de seu

Continue Lendo

Enquete

Advertisement

Siga-nos no Twitter

Advertisement

Curta-nos no Facebook!

Advertisement

Copyright © 2018 O Canal - Onde a TV vira notícia!